As compras de Natal passaram a ser tradição também no comércio. Tanto que é considerada a data mais importante e lucrativa para os lojistas. Essa representatividade coincide com a iniciativa dos empresários darem um salário extra para os trabalhadores, no século 19.

Foi quando surgiu o 13º, conhecido até os dias de hoje como “subsídio de Natal” ou “gratificação de Natal”. No Brasil, esse pagamento foi implantado apenas no ano de 1962, no governo Getúlio Vargas. A partir daí, as vendas só aumentaram nesse período do ano, principalmente com as ações de marketing para atrair consumidores. A figura emblemática do Papai Noel, personagem criado na Alemanha no século 4, começou a ser divulgada na maioria dos países e ganhou um espaço importante nas campanhas natalinas. natal4

A ideia foi tirada da passagem bíblica quando os três reis Magos deram presentes preciosos ao menino Jesus no seu nascimento. Outra fábula inspirou as comemorações natalinas, como são realizadas nos dias de hoje: antigamente os agricultores trocavam presentes simbólicos, como raminhos de oliveira, no Solstício de Inverno (fenômeno astronômico que marca o início do inverno), que ocorre em dezembro no Hemisfério Norte, coincidindo com a época do Natal, em alguns países.
Nesse período especula-se muito sobre o crescimento das vendas. As expectativas para este ano não são muito otimistas em comparação a 2012, por causa das altas taxas de juros. Espera-se lucrar menos, mas agora é esperar para ver.